Os cinco Solas da Reforma

 

  Os cinco Solas da Reforma

                             

Introdução

Martinho Lutero era um monge agostiniano, de origem pequeno-burguesa, da região da Alemanha. Seu rompimento com a igreja católica deu-se por causa da venda de indulgências (Perdão). Para concluir a construção da Basílica de São Pedro, o papa Leão X (1513-1521) determinou a venda de indulgências para toda a cristandade e encarregou o dominicano Tetzel de comerciá-las na Alemanha.

Lutero protestou violentamente contra esse comércio e, em 1517, afixou na porta da igreja de Wittenberg, onde era mestre e pregador, 95 proposições onde, entre outras coisas, condenava a prática vergonhosa da venda de indulgências.

Essas teses foram afixadas na porta da Igreja do Castelo de Wittenberg em 1o de outubro de 1517. Era esse o modo usual de se anunciar uma “disputa”, prática regular da vida universitária. Ao fazer isso, não havia nada de excepcional na atitude de Lutero(1483-1546), pois apenas agia conforme costumes medievais ainda presentes nas universidades européias. Essas disputas eram debates que envolviam professores e estudantes, daí o fato de Lutero pedir para aqueles que não pudessem se fazer presentes às disputas que, ao menos, enviassem suas opiniões por escrito para serem lidas. Portanto, as “teses” deveriam ser vistas como “pontos a serem debatidos” em uma plenária. esse ato público envolvia apenas doutos e seus estudantes, já que eram feitas em latim como demonstra o fato de as teses terem sido escritas originalmente nesse idoma e não em alemão (língua original de Lutero).

O papa Leão X exigiu uma retratação, sempre recusada por Lutero. Lutero foi excomungado e reagiu imediatamente, queimando em público a bula papal (documento de excomunhão). Frederico, então príncipe eleito da Saxônia tornou-se protetor de Lutero, e recolheu-o em seu castelo, onde o Lutero desenvolveu suas idéias.

As principais foram:

    • A justificação pela fé, pela qual as aparências têm valor secundário. A única coisa que salva o homem é a fé. Sem ela, de nada valem as obras de piedade, os preceitos e as regras. O homem está só diante de Deus, sem intermediários: Deus estende ao homem sua graça e salvação; o homem estende para Deus sua fé.

    •       Por isso a Igreja não tem função, o papa é um impostor, a hierarquia eclesiástica, uma inutilidade, afirmava Lutero.

    •       Outra idéia de Lutero era o livre-exame. A Igreja era considerada incompetente para salvar o homem; por isso sua interpretação das Sagradas Escrituras não era válida: Lutero queria que todos os homens tivessem acesso à Bíblia (por isso a traduziu do latim para o alemão). Todo homem poderia interpretar a Bíblia segundo sua própria consciência, emancipando-se no plano da ideologia religiosa.

Acerca da pregação, Lutero falava especificamente aos jovens pregadores:
Portai-vos em pé com garbo, falai virilmente, sede expeditos (Desembaraçados, ativos, diligentes,). Quando fores pregar, voltai-vos para Deus e dizei-lhe: “Senhor meu, quero pregar para tua honra, falar de ti, magnificar e glorificar o teu nome”. E que o vosso sermão seja dirigido não aos ouvintes mais conspícuos (Notáveis, eminentes e ilustres), mas aos mais simples e ignorantes.

Lembrando do cuidado que tinha Jesus de ensinar com simplicidade. Das videiras, dos rebanhos, das árvores, deduzia Ele as suas parábolas; tudo para que as multidões compreendessem e retivessem a Verdade. Fiéis a esta vocação, nós receberemos o nosso prêmio, senão nesta vida, na futura.

A Reforma teve intuito moralizador, colocando em plano de destaque a moral do indivíduo agora conhecedor dos textos religiosos, que por séculos ficaram sob o domínio privilegiado dos membros da hierarquia eclesiástica Católica. As principais figuras da Reforma foram John Huss (13701415), Martinho Lutero (14831546) e João Calvino (15091564).

Por volta de 1450-1455 tinha sido impresso pela primeira vez um livro: uma bíblia. A Biblia Latina, impressa por João Gutenberg, com uma edição de cerca de 150 exemplares, uma revolução tecnológica, certamente, mas que dá início a uma revolução social. Até aqui, na Idade Média, os livros eram copiados à mão. A bíblia era um luxo, exclusivo aos elementos da Igreja. A maioria da população, analfabeta, conhece a Bíblia apenas de forma vaga, das visitas à Igreja.

Nos anos seguintes à invenção da imprensa surgiram milhares de bíblias em circulação, impressas primeiro em latim, depois também em Grego, e em Inglês, Alemão, Francês, e demais línguas e dialetos.

Os Cinco Solas da Reforma
A Reforma tem como base 5 pilares que são:

Sola Scriptura, Sola Christus, Sola Gratia, Sola Fide, Soli Deo Gloria

Somente as Escrituras, Somente Cristo, Somente a Graça, Somente a Fé, Somente a Glória de Deus.

SOLA SCRIPTURA.

·        Só a Escritura é a regra inerrante da vida da igreja, mas a igreja evangélica atual na prática não está sendo guiada pela bíblia e sim pela cultura.

·        Técnicas terapêuticas são usadas, em lugar da verdadeira cura divina. Confissão positiva.

·        Pensamento positivo em lugar da verdadeira fé. Quando Jesus dizia “ se tu podes crer, tudo é possível ao que crê, Ele na verdade queria levar o ser humano a crer Nele e operar milagres pelo Seu infinito poder e não por capacidade humana. Muitos hoje pegam o texto de filipenses 4,13 Posso todas as coisas em Cristo que me fortalece, e fazem uma pregação humanista onde o homem é praticamente o centro,onde homem se cura, se levanta, muda de vida etc. Mas indo ao contexto Paulo diz: Sei estar abatido, e sei também ter abundância; em toda a maneira, e em todas as coisas estou instruído, tanto a ter fartura, como a ter fome; tanto a ter abundância, como a padecer necessidade. Posso todas as coisas em Cristo que me fortalece.

·        Teologia da prosperidade em lugar de conformar-se com as coisas humildes.

·        Estratégias de marketing, no lugar da verdadeira pregação. Pregadores que divertem o público em vez de esclarecer a verdade da palavra. Pregam para sua própria glória e não para a glória de Deus.

·        O mundo muitas vezes tem mais voz sobre a igreja, e em como ele deve funcionar, e no que deve oferecer, do que a Palavra de Deus.

·        Os pastores não supervisionam o culto. Os cultos em muitas igrejas são motivo de escândalo para os descrentes.

·        Não se importam mais com a doutrina dos costumes.

·        A música nas igrejas não é mais a mesma. Alguns cultos parecem veradeiras festas mundanas.

·        À medida que a autoridade bíblica é abandonada na prática, as verdades se enfraqueceram na consciência dos crentes. As principais doutrinas da igreja perderam sua primazia, a igreja está sendo cada vez mais esvaziada de sua integridade, autoridade moral e discernimento.

·        Em vez de adaptar a fé cristã para satisfazer as pessoas do mundo, devemos proclamar a Bíblia como única regra de fé e prática, justiça, verdade, e o evangelho como a único meio de SALVAÇÃO.

·        A verdade da bíblia é a única regra para a disciplina da igreja.

·        A Bíblia precisa ser ensinada e pregada na igreja.

·        As pregações precisam ser exposições da Bíblia e de seus ensinos, não a expressão da opinião ou da idéia de Pastores e lideres cristãos.

·        Devemos deixar O Espírito Santo nos dirigir pelo conteúdo das Escrituras.

·        Sem as Escrituras nunca teríamos conhecido a graça de Deus em Cristo. A Palavra da bíblia, e não a experiência humana deve ser pregada como única verdade que liberta. Sola Scriptura deve ser pregada.

·        A igreja deve reafirmar que só a Escritura, inerrante palavra de Deus é fonte única da revelação divina escrita, única para convencer a consciência humana.

·        A Bíblia sozinha ensina tudo o que é necessário para nossa salvação, para nos libertar do pecado, e é o padrão pelo qual todo comportamento cristão deve ser avaliado.

·        A igreja deve negar que qualquer credo, concílio ou indivíduo fora de Cristo do Espírito Santo e da Palavra de Deus possa constranger a consciência de uma pessoa.

 

 

SOLO CHRISTUS: A Fé Centrada em Cristo

À medida que a fé evangélica PROTESTANTE se secularizou, seus interesses se confundiram com os do mundo

·        O resultado foi a perda das verdades absolutas, o individualismo, (eu faço o que eu quero, pastor não manda em mim!) Porque, dizendo um: Eu sou de Paulo; e outro: Eu de Apolo; porventura não sois carnais? (I Coríntios 3: 4).

·        A substituição da santidade pela integridade (Qualidade de íntegro; inteireza.
Retidão, imparcialidade)
, Santidade é dom de Deus, ao passo que integridade é desenvolvida pelo homem, em outras palavras isto é humanismo.

·        Perda do arrependimento pela recuperação (O arrependimento liberta na hora, através de Cristo, SOLO CHRISTUS. Mas hoje em dia a maioria das pessoas diz diante do apelo para aceitarem Jesus, eu vou me libertar disso ou daquilo primeiro depois eu O aceito. SOLO CHRISTUS liberta.

·        Perda da verdade pela intuição, (Verdade é a palavra de Deus, Jo. 17,17, intuição é a visão humana, é o modo do homem perceber, discernir; é o que o homem pensa).

·        Perda da fé pelo sentimento, (ORA, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem, ao passo que sentimento é o ato de perceber, apreciar; ter noção, Palpite, pressentimento, mas tudo isso está longe da inabalável FÉ que norteou a igreja por séculos).

·        Por fim a perda da providência pelo acaso e da esperança duradoura pela gratificação imediata.

·        Nesse contexto Cristo desaparece e sua cruz se desloca do centro da visão de muitas igrejas.

Solo Christus

·        A igreja deve reafirmar que sua salvação é realizada unicamente pela obra mediatória e vicária de Cristo no golgota.

·        Sua vida sem pecado e sua expiação por si só são suficientes para nossa justificação e reconciliação com o Pai.

·        A igreja deve negar que o evangelho esteja sendo pregado se a obra vicária de Cristo não estiver sendo declarada, e se a fé em Cristo e em sua obra não estiver sendo pregadas.

SOLA GRATIA: O Evangelho sob ameaça

O Evangelho de Jesus cristo está sendo desvirtuado pelo excesso de Confiança na capacidade humana.

·        O evangelho da auto-estima, o evangelho da saúde e da prosperidade, estão transformando o verdadeiro evangelho num produto vendável e os pecadores em consumidores, tal qual fez a igreja católica no passado. Esse tipo de pregação ofusca a doutrina da justificação pela fé.

·        Muitas igrejas não pregam mais o evangelho da salvação, e da santificação.

·        A graça de Deus em Cristo evidenciada no evangelho não só é necessária como é a única causa eficaz da salvação. Em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos. At. 4.12.

·        Todo ser humano nasce espiritualmente morto no pecado e não é capaz de salvar-se a não ser pela graça regeneradora. Sola Gratia salva.

Sola Gratia

·        A igreja deve reafirmar que na salvação somos resgatados da ira de Deus unicamente por sua graça em Cristo.

·        E que a obra sobrenatural do Espírito Santo é que nos leva a Cristo, livrando-nos da servidão do pecado e erguendo-nos da morte espiritual para a vida espiritual.

·        A igreja deve negar que a salvação seja em qualquer sentido obra humana. Os métodos, técnicas ou estratégias humanas por si só não podem realizar essa transformação.

·        A igreja deve reafirmar que a fé não é produzida pela natureza humana não-regenerada, mas que é um dom de Deus.


SOLA FIDE: O Artigo Primordial da fé.

Não há nada que o homem possa fazer para ser salvo a não ser CRER e receber Cristo como Salvador.

A justificação é somente pela graça, SOMENTE POR INTERMÉDIO DA FÉ, SOLA FIDE e somente por meio de Cristo. Este é o artigo pelo qual a igreja se sustenta.

Este é um artigo muitas vezes ignorado, distorcido, e até negado por líderes, estudiosos, teólogos e até pastores evangélicos, que colocam doutrinas humanas como necessárias à salvação. Mas SOLA FIDE é suficiente para a salvação, vaja o caso do ladrão na cruz por exemplo. E disse a Jesus: Senhor, lembra-te de mim, quando entrares no teu reino.  E disse-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso. Luc. 23,42-43.

Não existe evangelho a não ser o da substituição de Cristo em nosso lugar, pela qual Deus lhe imputou o nosso pecado e nos imputou a sua justiça. Por ele Ter levado sobre si a punição de nossa culpa, nós agora PELA FÉ, e SOLA FIDE somente pela FÉ, andamos na sua graça como aqueles que são para sempre perdoados, aceitos e adotados como filhos de Deus Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito. (Romanos 8: 1). Não há base para nossa aceitação diante de Deus a não ser somente pela FÉ na obra salvadora de Cristo. A base não é a devoção à igreja, ou a nossa moralidade, mas a FÉ no que Deus fez por nós em Cristo, independente do que nós podemos fazer para alcançar Deus.

 

 

Sola Fide

Reafirmamos que a justificação é somente pela graça, somente por intermédio da fé somente por causa de Cristo. Na justificação a retidão de Cristo nos é imputada como o único meio possível de satisfazer a perfeita justiça de Deus.

Negamos que a justificação se baseie em qualquer mérito que em nós possa ser achado, ou que uma instituição que reivindique ser igreja, mas negue ou condene sola fide possa ser reconhecida como igreja legítima.

SOLI DEO GLORIA: O Culto Centrado em Deus

Onde quer que na igreja se tenha perdido a autoridade da Bíblia, onde Cristo tenha sido colocado de lado, o evangelho tenha sido distorcido ou a fé pervertida, sempre foi por uma mesma razão. Nossos interesses substituíram os de Deus nós estamos fazendo o trabalho Dele do nosso modo, e não estamos dando a Ele a glória devida. A perda da centralidade de Deus na vida da igreja de hoje é visível e lamentável. É essa perda que está permitindo transformar o culto em entretenimento, a pregação do evangelho em marketing, o crer em técnica, o ser bom em sentir-se bem e a fidelidade em ser bem-sucedido. Como resultado, Deus, Cristo e a Bíblia vêm significando cada vez menos para muitos de nós.

Deus não existe para satisfazer as ambições humanas, os desejos, os apetites de consumo, ou nossos interesses espirituais particulares. Precisamos nos focalizar em adorar e glorificar a Deus, e não em satisfazer nossas próprias necessidades. Deus é soberano no culto, não nós.

Soli Deo Gloria

A salvação é de Deus e realizada por Deus, ela é para a glória de Deus e devemos glorificá-lo sempre por isso. Devemos viver nossa vida inteira perante a face de Deus, sob a autoridade Dele, e para sua glória somente.

Não podemos glorificar a Deus se nosso culto for confundido com entretenimento, e se negligenciarmos sua Lei ou o Evangelho em nossa pregação. É preciso fazer tudo com decência e ordem e para gloria de Deus.

 

Pr. Luiz Antonio. Compilado e adaptado a partir da Declaração de Cambridge.

 

 

 

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Se voce tem o chamado, nós temos o conhecimento!

%d blogueiros gostam disto: